Apaixonado, o casal fecha os olhos durante aquele beijo. Isso é sinal de amor?
É apenas uma prática cultural?
Um estudo da Universidade de Londres sugere uma resposta bem menos romântica para isso.

A prática pode ter uma base biológica: a capacidade de sentir o toque depende de quanta informação visual o cérebro recebe no mesmo momento. Ou seja, fechar os olhos amplia a percepção do toque. A conclusão foi publicada em Março no “Journal of Experimental Psychology: Human Perception and Performance” (revista científica de psicologia).

A visão tem uma carga perceptiva muito grande. Quando fechamos os olhos conseguimos apurar melhor os outros sentidos. Esse estudo mostra exatamente isso. No caso do beijo, as pessoas ficam mais sensíveis ao toque quando seus olhos estão fechados”
Larissa Costa Rodrigues Piai, psico terapeuta comportamental
A conclusão “nada romântica” do estudo surgiu quando os pesquisadores estudavam se a percepção ao toque era alterada conforme os estímulos visuais recebidos.

Os voluntários recebiam alertas táteis –aqueles que vibram– enquanto tinham de fazer tarefas visuais. Depois de receberam uma tarefa com alta carga visual ou baixa carga visual, tinham de dizer se tinham ou não percebido uma vibração em suas mãos naquele momento.
Com isso, os pesquisadores notaram que a percepção das vibrações diminuía conforme aumentava o nível de informações visuais recebidos.
“Esse estudo foi muito além do sentido do toque e muito além do motivo de fecharmos olhos enquanto beijamos. Ele evidenciou que ao inutilizarmos um sentido, acabamos aguçando outros”, concluiu Larissa