Chuva deixa zonas leste e oeste de SP em estado de atenção

Chuva deixa zonas leste e oeste de SP em estado de atenção

Carros foram arrastados no Beco do Batman, em Pinheiros

Chuva deixa zonas leste e oeste de SP em estado de atenção
Notícias ao Minuto Brasil

 por Estadao Conteudo

Brasil alagamentos

A forte chuva que atinge diversos pontos das zonas leste, oeste e o centro de São Paulo deixou as regiões em estado de atenção para alagamentos. No extremo leste da capital, no Itaim Paulista, o temporal deixou o bairro em estado de alerta.

As áreas de instabilidade foram causadas pelo calor, alta disponibilidade de umidade e a entrada da brisa marítima, de acordo com o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas). No Jardim Paulistano, na zona oeste, duas árvores caíram. Nos Jardins houve queda de árvores na avenida Brasil, semáforos apagaram e pararam o trânsito da região.

De acordo com os meteorologistas do CGE, as próximas horas seguem com tempo instável, com chuvas atuando em outras regiões da Cidade.

+ Motorista tem mal súbito e atropela pedestre; os 2 morrem

Carros foram arrastados no Beco do Batman, em Pinheiros, na Zona Oeste da capital paulista:

Notícias ao Minuto

Próximos dias

A próxima semana será de muito calor com temporais típicos de verão concentrados entre a tarde e o início da noite, segundo o CGE.

A segunda-feira, 22, seguirá a tendência dos últimos dias. Madrugada com termômetros em torno dos 20ºC e amanhecer com sol entre muitas nuvens. As instabilidades localizadas se formam a partir da tarde e se prolongam para o início da noite, com forte intensidade e potencial para a formação de alagamentos e transbordamentos de rios e córregos. Temperatura máxima prevista de 31ºC e taxas de umidade entre 45% e 90%.

Na terça-feira, 23, o tempo se mantém com as mesmas características de verão, ou seja, sol entre nuvens e chuvas fortes concentradas a partir da tarde, sem uma região específica para o início das precipitações. A temperatura máxima alcança os 32ºC, enquanto a umidade do ar segue elevada e acima dos 42%. Com informações do Estadão Conteúdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *