‘Era acima de qualquer suspeita’, diz delegado sobre professor preso por exploração sexual em MS

‘Era acima de qualquer suspeita’, diz delegado sobre professor preso por exploração sexual em MS

Investigação aponta que suspeito teria enviado fotos e até vídeos íntimos para adolescentes, além de oferecer dinheiro para sexo.


Por Graziela Rezende, G1 MS

Professor substituto é indiciado e preso por exploração sexual em Campo Grande (Foto: Dyego Queiroz/G1 MS)Professor substituto é indiciado e preso por exploração sexual em Campo Grande (Foto: Dyego Queiroz/G1 MS)

Professor substituto é indiciado e preso por exploração sexual em Campo Grande (Foto: Dyego Queiroz/G1 MS)

Preso na tarde dessa segunda-feira (22), por exploração sexual de ao menos 4 alunos, o professor de história, de 34 anos, não levantava desconfiança sobre a sua conduta. “Ele era um cidadão acima de qualquer suspeita, não tinha comportamento de criminosos contumazes”, afirmou ao G1 o delegado Paulo Sérgio Lauretto, responsável pelas investigações.

A denúncia anônima chegou ao conhecimento da polícia no dia 24 de novembro de 2017. Houve investigação neste período e a constatação de que o suspeito praticava o crime desde abril do mesmo ano. Ele teria enviado fotos e até vídeos, ainda de acordo com a polícia, ressaltando que pagaria para os adolescentes caso recebesse o mesmo por parte deles. Outra informação é de que o homem oferecia dinheiro para praticar sexo.

“Duas famílias dos adolescentes nos repassaram prints das conversas, que ele mantinha com as vítimas nas redes sociais. Os aparelhos foram recolhidos e estamos aguardando os laudos para a conclusão do inquérito”, explicou Lauretto.

O suspeito, que não tinha antecedentes criminais, deve responder por exploração sexual de menores. A pena para o crime varia de 4 a 10 anos de reclusão.

Entenda o caso

O suspeito trabalhava como professor substituto da rede muncipal, na Vila Popular, em Campo Grande. A prisão preventiva ocorreu durante a tarde dessa segunda-feira (22) e o mandado de prisão foi expedido na semana passada.

O suspeito disse à polícia que só vai se pronunciar sobre o caso perante a Justiça. Já a Secretaria Municipal de Educação de Campo Grande informou que o homem era convocado e que vai apurar o caso. S

A Delegacia Especializada de Proteção à Criança e o Adolescente (Depca) informou que os estudantes negaram ter enviado fotos ao professor. Um dos adolescentes comentou, durante depoimento, que recebeu a proposta dentro do banheiro da unidade de ensino, onde foi agarrado pelo homem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *